quinta-feira, 26 de maio de 2011

DOIS OLHOS

Em mais um dia banal
Sem nada de diferente
Várias faces, tudo igual
Mas em meio a tanta gente
Tinha um olhar memorial
De beleza surpreendente.


Ao avistar esse olhar
De olhos verdes brilhantes
Passei a me perguntar
Como pude não ver antes
Essa cor que lembra o mar
E inspira sonhos distantes.


 São dois olhos que me fazem
Esquecer os meus problemas
Dois olhos que são capazes
De resolver meus dilemas
Inspirando versos, frases
Belas palavras e poemas.


Dois olhos que são presentes
Dados pela natureza
Que ás vezes são inocentes
E até cheios de pureza
Que mesmo estando ausentes
Brindam-me com sua beleza.


Se um dia eu puder ter
A beleza desse olhar
Para quando eu quiser ver
E com ele me encantar
Só o que posso prometer
É jamais o fazer chorar.


Dois olhos que são mistérios
Que eu queria descobrir
Que mesmo quando estão sérios
Desafiam-me a sorrir
Eu conquistaria impérios
Pra não deixá-los partir.

3 comentários:

Francisco Koala disse...

Karaka Peter... matou a pau hein brother... muito bom cara... ficou fantástico ... Parabéns mesmo... tua fluencia na escrita melhora a cada dia... te expressa cada vez melhor... e tudo isso é sorte nossa , pois consegue nos presentear com estes lindos contos e poemas...
Parabéns amigo... tenho certeza que possui pela frente um brilhante caminho... siga em frente e não olhe para trás...

Miriam disse...

Eu disse que era pra publicar,já teve até elogio!!hahaha
Mas eu gostei mesmo,e gostei do outro tbm! fica a dica ;)

Renildo Albino disse...

graaande colorado peter...sabia q um dia tu ia virar blogueiro...um abraço..segue o meu...um poeta essa tua postagem.tah virado num poeta